acupuntura para o alivio da dor

Acupunctura para o alívio da dor: funciona mesmo?

É muito comum encontrarmos pessoas que têm dúvidas sobre o efeito da acupunctura em casos de dores, sejam elas crônicas ou sazonais. Essas dúvidas, no entanto, estão muito mais presentes nas pessoas que nunca fizeram uma sessão de acupunctura do que naquelas que já são adeptos dessa milenar tradição chinesa.

Recentemente, estudos realizados comprovaram a eficácia da acupunctura para o alívio da dor crônica, principalmente nas costas, região lombar e também em dores musculares.

Como a acupunctura age sobre a dor

O princípio básico da acupunctura é o de introduzir pequenas agulhas, muito finas, em pontos específicos do corpo humano. A intenção é equilibrar o organismo através da passagem de acupunturafluidos energéticos e também de substancias produzidas pelo próprio organismo.

A estimulação com as agulhas permite que substâncias como a endorfina e a serotonina circulem pelo corpo, levando a sensação analgésica para outras regiões afetadas por algum tipo de dor.

A frequência das sessões deve ser semanal, exceto em casos de dor aguda, onde elas podem ser realizadas a cada três ou quatro dias. Esse período depende de cada caso e de cada paciente.

Outras dores tratáveis com a acupunctura

Além das dores crônicas nas costas, lombares e grupos musculares, praticamente todo tipo de dor pode ser tratado com a acupunctura. Algumas das indicações são:

  • Cefaléia (dores de cabeça)
  • Dores causadas por rinites e sinusitis
  • Dores de garganta
  • Dores nas articulações
  • Dores de dente e na gengiva

Mais do que identificar e tratar a dor, a acupunctura também prevê que todo o organismo funcione de forma mais equilibrada, o que traz benefícios para todo o corpo.

Alterações como stress, insônia, depressão, ansiedade e outros quadros psíquicos também são tratáveis com as técnicas da acupunctura. Tratando as causas, busca-se a melhoria de muitos sintomas, dentre eles, a maior parte das dores, causadas por enfermidades ou outras patologias.

Post Your Comment Here

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *